CEPTA RECEBE VISITA DE COMITÊ DA AGENDA 21

O ComArc (Comitê das Agendas 21 Locais na Região do Conleste) veio conhecer o Cepta, o Centro de Ensino, Pesquisa e Treinamento em Agroecologia, um investimento que a Prefeitura de Magé, através da Secretaria Municipal de Agricultura Sustentável, realiza no distrito agrícola da cidade.

Representantes das Agenda 21 dos municípios de Magé, Rio Bonito, Tanguá, Teresópolis, Guapimirim e Maricá e das ONGs Água Doce, Instituto Rio Carioca e do Projeto Suruí 2050 ficaram encantados com as experiências desenvolvidas para a preservação do ecossistema e o cultivo de alimentos livre de agrotóxicos, e elogiaram a atuação da gestão municipal que se preocupa com o bem-estar do cidadão de consome e também daqueles que tiram sua renda da agricultura na cidade.

“Essa história começou na época da olimpíadas quando buscavam produtores de orgânicos para serem fornecedores e fomos procurados pela Compensação Internacional e a ONG WWF, daí começamos as visitas e vimos o interesse nesse tipo de produção. A cidade do Rio de Janeiro compra 90% daquilo que consome e na nossa região (Leste Fluminense) somos 3 milhões de habitantes”, contou o secretário do ComARC, Mauro Paes.

No Cepta eles tiveram a oportunidade de ver os projetos nas áreas experimentais, com aves e ovos orgânicos, recuperação da mata ciliar, cultivo alimentos convencionais e não-convencionais, técnicas de
Preparo do Solo com adubação e irrigação, entre outras experiências desenvolvidas no local.

“Com o potencial agrícola do município de Magé, temos a possibilidade de cultivar do nível do mar à serra, em Santo Aleixo. Já temos agricultores mageenses certificados e você encontra pelo menos um deles em cada uma das feiras do circuito orgânico”, explica Luiz Henrique dos Santos, engenheiro agrônomo do Cepta.

O Centro de Pesquisa está aberto para visitação pública. Lá a população pode conhecer melhor o projeto do governo municipal que estimula a produção sem uso de agrotóxicos e sustentável.

O ComARC é compostos pelos 14 municípios que fazem parte do Conleste, criado a partir do Comperj, e que pensou nessa mobilização que deu origem a Agenda 21, através da Petrobras, para organizar a representação local dos quatro setores básicos sociais (governo, empresários, organizações não-governamentais e a sociedade civil) e estabelecer as medidas compensatórias nesta região.



Deixe uma resposta