PRIMEIRO QUILOMBO DA BAIXADA COMEMORA 10 ANOS DE CERTIFICAÇÃO

PRIMEIRO QUILOMBO DA BAIXADA COMEMORA 10 ANOS DE CERTIFICAÇÃO
11 abr 2017

O quilombo de Maria Conga, em Magé, é o primeiro da Baixada Fluminense com certificação e reconhecimento da Fundação Cultural Palmares. Nesta quarta-feira,12 de abril, a cidade comemora os 10 anos desse reconhecimento com um dia dedicado à cultura quilombola.

Pela manhã a Praça do Quilombo, no início da Rua Suruí, a partir da 9h, ganha um cheirinho especial do cozido tradicional de Maria Conga, que será oferecido na degustação da culinária típica, e uma série de ações culturais com uma palestra sobre a história de Maria Conga, o quilombo e o processo de reconhecimento, jongo e capoeira.

Também vão acontecer as ações sociais com atendimento e orientação dos CRAS E CREAS com informações sobre o programa Bolsa Família e o CadÚnico, cadastro para emissão dos cartões do SUS, serviços de saúde dos programas de Infecções Sexualmente Transmissíveis, Tabagismo, Hiperdia (hipertensão e diabetes) e a mobilização social com a Campanha 10 Minutos Salvam Vidas. A equipe da Secretaria de Trabalho, Emprego e Geração de Renda vai orientar sobre os serviços do balcão de empregos, o seguro desemprego e sobre a emissão da carteira de trabalho.

O PSF Maria Conga, que foi resgatado para atender a comunidade pela atual gestão, vai oferecer o atendimento de enfermagem e também fará exames para rastrear anemias, especialmente a anemia falciforme, muito comum na população negra.

Magé além de ter o Quilombo Maria Conga, a prefeitura realizou através da COMPPPIR, a Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas de Promoção da Igualdade Racial, um levantamento de outras comunidades quilombola na cidade . Hoje estão em processo de certificação na Fundação Palmares, os quilombos de Bongaba e do Feital, e as comunidades de Piabetá e de Jardim Esmeralda.

À tarde, a cultura quilombola toma conta do Calçadão em Magé

Quem visitar o calçadão do primeiro distrito de Magé na tarde de amanhã, também pode participar da programação da Fundação Cultural para a comemoração dos 10 anos de certificação do Quilombo Maria Conga. A partir das 13h terá capoeira, maculelê e roda de samba. A atriz Vitória Angélica vai apresentar um monólogo em que vai interpretar a escrava guerreira Maria Conga, contando suas aventuras, desafios, numa mistura de sua história e também da história de Magé. Também será exibido o documentário “Orgulho de ser quilombola”, produzido pela comunidade.

Maria Conga nasceu na África, em 1792. Chegou ao Brasil aos oito anos, junto com a família, num navio negreiro. Foi separada dos pais e acabou vendida para um senhor de engenho, em Salvador, onde recebeu o nome de Maria da Conceição. Até conquistar a liberdade, aos 35 anos, foi vendida outras duas vezes. Quando se tornou livre, fundou um quilombo em Magé para proteger os refugiados.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *