PROGRAMA DE TRATAMENTO E CONTROLE DA TUBERCULOSE ESTÁ FUNCIONANDO COM AGENDA REDUZIDA

O tratamento deve ser contínuo, por isso os pacientes não deixaram de ser atendidos durante a pandemia

Seguindo as medidas de prevenção durante a pandemia, o Programa de Tratamento e Controle da Tuberculose não parou neste período, e se adaptou a nova rotina.

A unidade continua com os atendimentos durante a semana das 8h às 17h e com avaliações médicas todas as quintas, na Rua dos Expedicionários, nº 39, ao lado do Programa de Controle de Hanseníase e Esporotricose, no anexo do Centro de Especialidades de Magé, próximo da praça da banca de peixe.

Segundo o enfermeiro do programa, Antônio Miron, os pacientes com a tuberculose não deixaram de ser atendidos, “pois o paciente não pode interromper o tratamento, ou abandonar, senão a enfermidade pode ganhar força e não conseguimos tratar aqui, e ele terá que ser transferido para um hospital do estado se for necessário. Pensando nessa não-interrupção para não prejudicar os pacientes, estamos trabalhando desde o início da pandemia com agenda reduzida e medidas preventivas. Temos uma média de 80 atendimentos por mês e também trabalhamos em conjunto com as USFs para possibilitar também a busca ativa de pacientes tanto para verificar se possuem algum sintoma quanto entregar medicamentos pelos agentes comunitários de saúde, se houver a necessidade. Lembrando que esse medicamento é fornecido gratuitamente direto aqui na unidade de 15 em 15 dias, onde o paciente também passará por avaliação dos sintomas, pesagem e teste de escarro”, explicou.

Tuberculose tem cura

Para eficiência no tratamento e cura da doença é importante que o indivíduo não interrompa ou não abandone o acompanhamento. A tuberculose ataca principalmente os pulmões, por isso com a pandemia da Covid-19, o paciente deve redobrar os cuidados preventivos. Além da tosse com ou sem expectoração, por três semanas ou mais, são também comuns a falta de apetite, perda de peso, cansaço, dor no peito (dor torácica), febre baixa no fim do dia acompanhada de suores noturnos, e, às vezes, hemoptise (escarro com sangue).

A população dá pouca importância à tosse, porém ela é o principal sinal de suspeita da tuberculose. Quanto mais precocemente for feito o diagnóstico, menores serão as chances de transmissão na comunidade, o agravamento e o sofrimento das pessoas.

 

Texto: Philipe Campos