PROJETO TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA REALIZA ENCONTRO COM ALUNOS E INSTRUTORES EM MAUÁ

A manhã desta segunda-feira (25) foi marcada pela troca de experiências entre os cursistas e os instrutores do Projeto de Turismo de Base Comunitária, que oferece cursos gratuitos de gastronomia, condução de visitantes, hospedagem, instrução de canoagem e confecção de lembranças turísticas. Idealizado pelo ICMBio, a APA Guapi-Mirim e a ESEC da Guanabara em parceria com algumas prefeituras e universidades públicas, o projeto reuniu pela primeira vez todos os membros para os relatos das experiências vivenciadas nas visitas técnicas.

A moradora de Mauá e estudante do 3º período de Turismo, Jaqueline Joaquim, afirmou que o curso está lhe proporcionando uma experiência única e que ela vai trabalhar com passeios de caiaque para visitantes, uma das capacitações oferecidas.

“Essa capacitação me trouxe a perspectiva de que eu posso mudar a realidade local da minha cidade através do turismo de base comunitária. Esse tipo de turismo, que nada mais que é que você pegar a pessoa que mora aqui e capacitá-la para trabalhar na própria comunidade. Até então, eu não tinha experiência, só conhecia a teoria. Estou fazendo a capacitação de instrução de canoagem, porque eu pretendo trabalhar com a condução de visitantes pela Baía de Guanabara. Além do conhecimento, estou tendo a oportunidade que eu não tinha de poder continuar na minha comunidade”, comemorou.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente está apoiando o projeto. Segundo o educador ambiental, Bruno de Souza, a capacitação é uma oportunidade para o empoderamento local, com geração de renda, sem que haja nenhum tipo de dano ao meio ambiente. “Essa capacitação é uma oportunidade para valorizarmos o nosso município. Nesse momento precisávamos realmente disso e agora vamos mostrar o potencial de Magé, o quanto nós temos de belezas naturais e pessoas capacitadas, que só precisavam desse “empurrão” para empreenderem. Esse projeto está sendo essencial, porque mostra as pessoas que elas podem sim, fazer a diferença”, explicou.



Deixe uma resposta