TESTES RÁPIDOS: SAIBA COMO FUNCIONA A APLICAÇÃO

Pacientes devem ter atendimento agendado para testagem entre o 10º e 14º dia dos sintomas

Teste rápido de diagnóstico, modelo fornecido pelo Ministério da Saúde para detecção de quem está no período da doença. Foto: SMS Magé

A aplicação dos testes rápidos deve seguir critérios técnicos para que não seja desperdiçado o material e que o paciente tenha certeza do resultado, alerta a Secretaria Municipal de Magé. Desde o final de abril Magé realiza testes rápidos fornecidos pelo Ministério da Saúde, e também os adquiridos pelo município.

Um paciente (tanto o cidadão quanto o profissional de saúde) que apresenta sinais e sintomas deve passar por avaliação médica, seja nos hospitais e 24h da rede de emergência ou nas Unidades de Saúde de Família, informa Daniel da Paz, coordenador da Vigilância Epidemiológica.

Caso o quadro clínico indique a possibilidade de infecção pelo novo coronavírus, o paciente é encaminhado para que o teste rápido seja feito no período entre 10º e 14º dia de sintomas, com atendimento agendado em uma das 10 unidades-polo onde a testagem pode ser realizada: Guarani I, São Francisco, Andorinhas, Partido, Flexeiras, Serrana, Nova Marília, Maurimárcia, Ypiranga e Cachoerinha. Mas atenção: somente com a indicação clínica o teste será realizado, caso o paciente não a tenha, passará por atendimento médico:

– Quando iniciamos a testagem, nosso protocolo era de oito dias, porém durante a prática no uso dos testes nas unidades de saúde, notamos que muitos casos acusaram falso negativo no prazo oito dias, e estavam resultando positivo dois dias depois, porque os pacientes apresentaram agravamento dos sintomas. Além disso é necessário que o paciente passe pela avaliação médica, até mesmo para que o caso seja notificado e documentado, e o resultado classificado em nosso boletim para ser informado as autoridades de Saúde, explica a secretária de Saúde de Magé, Carine Tavares.

Porque não uma testagem em massa?

Magé está num momento em que o registros de novos casos confirmados da Covid-19 estão reduzindo, de acordo com o gráfico abaixo, com queda desde o dia 25 de maio, quando registrava 298, para 104 novas notificações na última semana:

Números de novos casos registrados da Covid-19 em Magé, a cada Semana Epidemiológica. Fonte: SMS Magé

A população tem solicitado a testagem em massa através das redes sociais. A Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde de Magé esclarece que os testes rápidos são de identificação de anticorpos e que existem dois tipos: o teste de diagnóstico que identifica quando o paciente está no período da doença. E os testes de IgG e IgM que acusam tanto se o paciente está no período da doença quanto se ele já passou pela Covid-19. Porém os testes rápidos só tem eficácia neste período entre 10 e 14 dias dos sintomas e o fornecimento chega ao município em pequenos lotes, tanto pela distribuição do Ministério quanto pela demanda do mercado pela aquisição do produto.

Não existe um critério para testagem em massa, porém as grandes metrópoles que adotaram essa medida, apresentavam um alto índice de contaminação de forma indiscriminada. “Em Magé testamos as pessoas que são sintomáticas, compatíveis com a contaminação pelo novo coronavírus. Se o teste for feito fora do prazo, vai dar o falso negativo sendo que o paciente está positivo. Então agimos mediante os critérios técnicos do Ministério da Saúde. Os testes de diagnóstico são o modelo enviado pelo Ministério e aplicado nos pacientes agendados nas unidades-polo, já os testes do tipo IgG e IgM são os que foram adquiridos pelo município e aplicados nas unidades hospitalares”, finaliza o coordenador.