6 MESES DE GOVERNO: PRESERVAÇÃO DO VERDE E COMBATE A CRIMES AMBIENTAIS

Secretaria Municipal de Meio Ambiente aplicou 41 multas e realizou 145 vistorias

Plano Municipal de Recuperação e Preservação da Mata Atlântica foi um dos marcos do primeiro semestre de trabalho da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (FOTO: Phelipe Santos)

Um município com a maior parte de seu território verde e que conta com unidades de Conservação Ambiental municipais, estaduais e federal. Com um currículo desses, Magé não poderia esquecer de proteger a sua flora e fauna e de cuidar do meio ambiente. Nos primeiros seis meses de Governo, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente atuou para evitar os crimes ambientais que devastam as florestas e prejudicam a qualidade de vida dos cidadãos. “O primeiro semestre foi um avanço para nós. Conseguimos bater as metas no tocante ao ICMS Ecológico, assim como também conseguimos implantar o Plano de Recuperação e Preservação da Mata Atlântica e o Plano de Resíduos Sólidos”, comemorou o secretário Sílvio Furtado.

O PPMA levou dois anos para ficar pronto e foi, após muita discussão com a sociedade civil organizada, transformado em decreto municipal pelo prefeito Renato Cozzolino. Além do plano, a Secretaria também agiu em conjunto com órgãos ambientais do estado para o reflorestamento de áreas verdes e para o desassoreamento do Canal de Magé. No primeiro caso, o projeto Florestas do Amanhã pretende ser o maior em termos de recuperação de áreas desmatadas em todo o país. Trata-se de uma parceria com a Secretaria de Estado do Ambiente para reflorestar todo o território fluminense. Em Magé, serão 20 hectares de área abrangidos. A largada foi dada no Horto Municipal, em Piabetá, com o plantio simbólico de 25 mudas.

Já o desassoreamento do Canal de Magé acontece graças ao projeto Limpa Rio, uma parceria com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Até os primeiros seis meses de 2021, 35% do serviço já haviam sido executados. A estimativa é retirar 7.600 metros cúbicos de sedimentos para destinação ambiental adequada. Na Fiscalização Ambiental, os números não deixam dúvidas: é preciso estar atento! Foram, no semestre, 145 vistorias, 120 notificações, 41 multas e embargos, 25 denúncias de maus tratos de animais, 92 denúncias de crimes ambientais diversos, 85 pássaros silvestres apreendidos e soltos, duas apreensões de motosserra, 24 áreas de monitoramento ambiental identificadas, uma retroescavadeira apreendida e 50 respostas ao MP que se encontravam com prazo vencido preparadas.