ANSIEDADE: RESPIRA, INSPIRA E NÃO PIRA

Como manter a Saúde Mental em tempos da Covid-19

Foto: Acervo SMS, tirada em ação antes da pandemia da covid-19

Nesse momento de muitas incertezas, muitas pessoas passaram a apresentar sintomas de ansiedade. Segundo os especialistas, é a resposta da mente para a insegurança em relação ao futuro. E como lidar com isso?

A psicóloga Michelle Medeiros, do Programa de Saúde Mental de Magé tem as dicas para lidar com esse turbilhão de sentimentos. Ela respondeu cinco perguntas que a maioria das pessoas têm dúvidas e nem sempre sabem onde buscar as respostas.

1- Quais os impactos que o isolamento podem causar a saúde mental?

R- Tendo em vista as orientações dos órgãos oficiais de Saúde, o distanciamento social é imprescindível na luta contra a pandemia. No entanto, infelizmente, o distanciamento social vem trazendo como consequência o adoecimento psíquico em algumas pessoas. Podemos observar um aumento de casos de crises de ansiedade, evoluindo para pânico e em certos casos, para a depressão, o que leva algumas pessoas a desenvolverem pensamentos suicidas e prática de automutilação. Há também aqueles casos em que a pessoa nega todos os fatos porque não consegue lidar com a realidade, utilizando dessa forma como um mecanismo de defesa para tentar manter o seu equilíbrio.

2- O que acontece com o indivíduo quando a ansiedade está em excesso?

Foto: Acervo SMS, tirada em ação antes da pandemia da covid-19

R- Ele pode ter sintomas físicos, como: dor do peito, taquicardia, falta de ar, sudorese,tensão muscular, náuseas, insônia, entre outros. É importante alertar que a preocupação em excesso com a pandemia, pode acarretar na decorrência destes e outros sintomas, levando a pessoa a acreditar que está infectada, enquanto ela pode estar prestes a entrar numa crise de ansiedade. Alguns sintomas psicológicos também podem ser observados, como: excesso de preocupação e medo, irritabilidade, dificuldade na concentração, compreensão distorcida da realidade, entre outros. Neste caso e diferente da ansiedade “normal”, a ansiedade patológica causa prejuízos na vida das pessoas e pode levar ao uso abusivo de álcool e/ou outras drogas.

3- Como lidar com a ansiedade e estresse nesse momento e como controlar?

R- Caso a pessoa perceba que não está conseguindo manter o equilíbrio, é importante procurar ajuda profissional antes que o quadro se agrave. Uma dica é aproveitar o momento para o autoconhecimento, procurando reconhecer os primeiros sinais de que algo não está bem. É perfeitamente normal sentir medo no nosso atual contexto e assumir esse sentimento é saudável. No entanto, se esse medo estiver impedindo que a pessoa cumpra com sua rotina diária, é importante pensar em estratégias pessoais para lidar com o medo e suas preocupações da melhor forma possível, buscando preservar a sua autonomia. Ler, escrever um diário, pintar, cozinhar, dançar, cantar, interagir com as pessoas que moram com você através de jogos e brincadeiras, fazer aquela faxina nas gavetas que a correria do dia a dia impedia, arrumar álbum (físico ou virtual) de fotografias e perceber as emoções surgindo a partir desse ato e tantas atividades mais que você puder e apreciar.

4- Quais os exercícios dá pra fazer em casa durante a quarentena, para melhorar a saúde mental?

Foto: Acervo SMS, tirada em ação antes da pandemia da covid-19

R- Na internet já podemos acessar vários vídeos de educadores físicos sérios dando instruções de exercícios adaptados para serem praticados em casa. Não há dúvida sobre os benefícios da atividade física para o bem-estar emocional. Cada um deveria, dentro dos seus próprios limites, procurar alguma forma de se exercitar. Além dos exercícios físicos, temos os exercícios de respiração para colocar em prática quando a ansiedade incomodar. Quando estamos calmos, respiramos lentamente, o que podemos observar pela extensão e a contração do abdômen. Vamos lá?  Respire devagar e profundamente, colocando a mão sobre o abdômen para senti-lo se movimentar. Agora, com a ajuda do dedo indicador, experimente inspirar por uma narina e expirar pela outra. Na sequência, a narina que inspirou deve ser usada para expirar. Outra técnica bastante utilizada é a de respiração prolongada. Nela você inspira contando lentamente até quatro, depois segura o ar nos pulmões por mais quatro. Depois expire lentamente contando quatro segundos e em seguida mantenha-se assim por mais quatro.

5- Como podemos observar os pensamentos, emoções e comportamentos neste momento de isolamento?

Estas três palavras podem parecer tão comuns, mas quando se fala em Saúde Mental fazem toda diferença para as pessoas com ansiedade. É importante definir para ajudar no processo de autoconhecimento:

Pensamentos: O que você está dizendo à si mesmo? Durante uma crise, a tendência é o surgimento de pensamentos distorcidos e catastróficos. Qual a evidência de que aconteça o que eu temo? O que eu posso fazer para evitar? Caso aconteça, como posso lidar de forma que não me paralise?

Emoções: O que estou sentindo? O que o meu corpo está me dizendo sobre o que sinto? É importante reconhecer cada emoção e não ignorá-la.

Comportamentos: O que você está fazendo a partir do que pensou e sentiu? Como costuma reagir diante o imprevisível?

Dica de ouro:

Estabeleça uma rotina nova, divida as tarefas domésticas, crie um ambiente confortável para estar ou trabalhar, cuide da alimentação, exercícios e sono. Cuide daqueles que você ama e tenha cautela com aqueles que estão dentro dos grupos de risco. Evite a busca desenfreada por notícias, escolhendo um período apenas do dia para se manter informado e cuidado para não compartilhar fake news.

Michelle Medeiros é formada em Psicologia há 15 anos e pós-graduada em Terapia Cognitivo Comportamental, atua na Saúde Mental de Magé desde o ano de 2016, contribuindo para tornar o Programa de Saúde Mental de Magé, referência para outros municípios.

Texto: Philipe Campos