AUDIÊNCIA PÚBLICA DISCUTE PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM MAGÉ

O evento contou a participação do Instituto de Desenvolvimento Socioambiental e da sociedade civil

Com o objetivo de discutir o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) da cidade de Magé, a Prefeitura através da Secretaria de Meio Ambiente, juntamente com o Instituto de Desenvolvimento Socioambiental (IDS) realizou uma audiência pública na última segunda-feira (21). O evento também contou com a participação da sociedade civil.

O Plano é baseado na Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), que determina promover a coleta, manejo, reutilização dos resíduos e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos.

Para a coordenadora de pesquisa do IDS Rosiane Rodrigues, o Plano irá oferecer benefícios para a população e para o meio ambiente. “Nessa audiência, além de apresentar os diagnósticos, apresentamos soluções, plano de metas e ações que irão melhorar a qualidade de vida e aumentar a geração de renda da população através da reciclagem. Como por exemplo, a política de Logística Reversa onde pontuamos o que fazer com as lâmpadas, baterias, pilhas. Com o Plano, o município terá acesso a financiamentos federais destinados à reciclagem e compostagem. E o mais importante, todas as ações envolvem o poder público, empesas e a sociedade”, afirmou a Rosiane.

“Atualmente, os resíduos do município são encaminhados ao Aterro Sanitário após a coleta nos domicílios, mas seria melhor se enviássemos somente o que é rejeito além do local possuir um sistema de compostagem. Dessa forma, o município estaria ganhando em qualidade de meio ambiente, recursos financeiros e vida útil do aterro. Ou seja, fazer uma gestão integrada de maneira sustentável é fundamental para o município”, explicou a diretora de Meio Ambiente, Aparecida de Souza.

“Após a audiência, iremos recolher todos os dados e informações para estabelecermos uma minuta que será conduzida à Câmara Municipal de Vereadores para aprovação da lei”, disse o subsecretário de Meio Ambiente, José Renato Ascar.

O professor de ciências Valdemiro de Almeida falou sobre a importância da sociedade civil nas discussões em prol do município. “O cidadão deve participar dessas audiências porque é uma forma de colaborarmos com as soluções que visam o melhor para a nossa cidade e para o meio ambiente”, disse.