ESTABELECIMENTOS ESSENCIAIS DEVEM ADOTAR O USO DE MÁSCARAS

A medida preventiva obrigatória está no último decreto nº 3.349/2020

Luana Garcia é operadora de caixa em um dos estabelecimentos que já adotou o uso das máscaras de proteção.

A Prefeitura de Magé determinou na última quinta-feira (16), a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção para acesso ou permanência em estabelecimentos essenciais privados ou públicos, como medida de prevenção e não disseminação da Covid-19, pré-determinada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Através  do decreto municipal nº 3.349/2020, novas medidas relacionadas aos estabelecimentos privados ou públicos que podem funcionar no município. Os comércios considerados essenciais e que estão com funcionamento autorizado são os supermercados, mercados, hortifrutis, açougues, peixarias, padarias, postos de combustíveis, distribuidoras de gás, farmácias, pet shops, clínicas veterinárias, estabelecimentos de saúde, médico-hospitalares, serviço funerário, lojas de materiais de construção civil e agências bancárias. Além do uso de máscaras os estabelecimentos também devem outras medidas citadas no decreto, como:

O fornecimento de máscaras de proteção para os funcionários dos estabelecimentos é obrigação dos responsáveis, dirigentes ou sócios;

Compete ainda aos responsáveis, a adoção de medidas para proibição do ingresso de pessoas em seu interior sem máscara de proteção;

As medidas citadas no decreto também se aplicam ao transporte público das linhas municipais.

Vagner Carneiro é gerente de uma loja de material de construção, e está seguindo à risca as recomendações do governo municipal. “É muito importante essa prevenção e temos consciência que essa doença é perigosa. Além do uso das máscaras, temos álcool em gel 70% nos balcões e no caixa.  O nosso balcão também têm o afastamento necessário para evitar um contato muito próximo com o cliente”, explica.

 

O Lucas da Luz, que gerencia uma farmácia, e considera “super importante o uso das máscaras para nos proteger e também àqueles que estão em casa. Aqui na empresa estamos usando as máscaras antes mesmo da vigência deste decreto”.

 

Caso os estabelecimentos não cumpram as medidas estabelecidas no decreto, além de estarem colocando a população e os funcionários em situação de risco grave à saúde, poderão ser penalizados com advertência no caso de primeira notificação, suspensão de funcionamento por sete dias no caso de reincidência com fechamento do estabelecimento até que sejam encerradas as medidas restritivas relacionadas à Covid-19.

Para visualizar o decreto na íntegra, clique AQUI

Texto: Philipe Campos