OPERAÇÃO AMBIENTAL NA SERRA DA ESTRELA RESGATA 75 AVES MANTIDAS EM CATIVEIRO

Ação contou com fiscais da Guarda Ambiental Municipal de Magé e do Inea e de policiais do 34 Batalhão de Polícia Militar (PM) (FOTO: Divulgação)

Ação conjunta com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a Polícia Militar apreendeu alçapões e gaiolas

Após uma denúncia, 75 aves silvestres foram resgatadas e 19 alçapões e 70 gaiolas, apreendidos durante ação de combate à caça e à captura irregular de animais na Serra da Estrela, em Raiz da Serra, no distrito de Vila Inhomirim. Dentre os pássaros resgatados, estavam coleiros, saíras, pixoxós, canários da terra e trinca-ferros. A ação contou com a participação conjunta da Guarda Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente de Magé, de fiscais do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e de policiais do 34o Batalhão de Polícia Militar (PM). As aves foram encaminhadas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama, em Seropédica.

Bióloga que representa a Secretaria de Meio Ambiente de Magé no conselho do Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela, Vanessa Silva explicou que a ação tem uma grande importância, apesar de não resolver isoladamente o grave problema dos crimes ambientais contra a fauna. “Mas, é uma oportunidade para que essas aves apreendidas possam viver em liberdade, serem reabilitadas para a soltura ou viverem em condições melhores que o cativeiro”, comentou. Ainda de acordo com Vanessa, este tipo de atuação conjunta do Poder Público na região é decisivo para coibir novos crimes ambientais como esse e para preservar os animais

Além de equipes do Refúgio, também colaboraram na operação fiscais da Reserva Biológica Estadual de Araras, da Área de Proteção Ambiental (APA) do Alto Iguaçu e da Superintendência Regional Piabanha (Suppib). No cativeiro em que as aves eram mantidas presas, não havia ninguém no momento da operação. Segundo a Lei de Crimes Ambientais, a pena para esse tipo de infração é de detenção de seis meses a um ano e multa. A Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas) estima que, anualmente, 38 milhões de espécies são retiradas da natureza em todo o território brasileiro.