PESQUISA VAI TRAÇAR PERFIL PARA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM MAGÉ

Secretarias realizarão levantamento junto aos moradores da cidade

Secretarias municipais de Magé – lideradas pela Pasta do Trabalho, Emprego, Indústria, Comércio e Geração de Renda – vão realizar pesquisas junto à população economicamente ativa para definir a necessidade dos moradores de cada um dos seis distritos em relação à carência de cursos profissionalizantes. Esta foi a conclusão após a apresentação do painel das ocupações gerais nos níveis básicos e médio técnico de escolaridade nas áreas do comércio, indústria e serviços realizada por executivos da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) aos secretários do governo municipal, na última sexta-feira (12), na Casa do Empreendedor.

“Inicialmente foram expostos diversos cursos profissionalizantes e técnicos para que os secretários pudessem tomar conhecimento e buscar a fundo as necessidades do município. Foram tabelados e selecionados os cursos em níveis de necessidade. A partir disto, concluímos que será necessário realizarmos pesquisas com a população, identificando a necessidade de cada distrito para obtermos uma relação final dos cursos. Através desta pesquisa, conseguiremos também formalizar a quantidade de vagas necessárias para cada curso. Esta ação é de extrema importância para o desenvolvimento de profissionais qualificados na nossa cidade”, explicou o secretário de Trabalho, Emprego, Indústria, Comércio e Geração de Renda, Fernando Assunpção Cozzolino.

A apresentação foi uma ação definida a partir da reunião dos representantes da Firjan com o prefeito Renato Cozzolino e o secretário Fernando Assunpção Cozzolino, há duas semanas, no Palácio Anchieta, sede da Prefeitura de Magé.

A partir deste grande raios-x das profissões que atendam às necessidades das empresas e dos trabalhadores de Magé, o município montará um projeto para instalar polos com cursos de qualificação e também será responsável por buscar os recursos externos, principalmente de emendas parlamentares e do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). A Firjan, através do Sesi e Senai, poderá oferecer os cursos na sua área de atuação.

Fotos: Lucas Santos