VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE MAGÉ REFORÇA FISCALIZAÇÃO EM ESTABELECIMENTOS

Comércios essenciais como as redes de supermercados estão no topo das ações

Na manhã desta quinta (26), as equipes da Vigilância Sanitária de Magé continuaram as ações de fiscalização nos supermercados da cidade. As visitas começaram na semana passada e estão sendo reforçadas nos outros distritos do município.

Segundo a equipe da vigilância Sanitária, os estabelecimentos visitados foram orientados a seguirem as resoluções nº 216 de 2004, regulamentada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, que estabelece procedimentos de boas práticas para serviços de alimentação, a fim de garantir as condições higiênico-sanitárias do alimento, e também serviços de manipulação, preparação, fracionamento, armazenamento, distribuição, transporte, exposição à venda e entrega de alimentos.

Nos supermercados visitados não foram encontradas irregularidades graves que fossem passíveis de notificação. A equipe também verificou a temperatura adequada da conserva de carnes e frios, constatou que estavam dentro da temperatura recomendada de congelamento: abaixo de 0 e resfriamento de 0°C a 10°C.

Roberto de Oliveira estava fazendo compras no mercado e abordou a equipe durante a fiscalização para parabenizar:

– Tenho muito orgulho da equipe estar atuando aqui e acabar com oportunismo de muita gente em ganhar dinheiro em cima dos humildes e desempregados como eu. Espero que os empresários sigam as recomendações dos agentes, disse.

Trabalho conjunto com o Procon

Para que não haja nenhum abuso nos preços dos produtos, o Procon Magé, está trabalhando em conjunto com a Vigilância Sanitária, atendendo às denúncias dos consumidores e fiscalizando. Os estabelecimentos com produtos no valor acima do mercado foram notificados na semana passada, e hoje as equipes retornaram para verificar se os preços foram corrigidos.

A equipe do Procon também apreendeu bolos e pizzas, e 19kg de carne bovina e suína. Todos sem a etiquetagem correta de fabricação e validade.

“Sou chefe churrasqueiro e ando sempre de olho nos preços e produtos de qualidade, e acho abusivo os comerciantes estarem afastando as pessoas com os valores abusivos, aproveitando a crise e a pandemia.  Então eu apoio esta ação!”, afirmou Ricardo Alexandre.

Texto: Philipe Campos