ALUNAS DE MAGÉ RECEBEM PRÊMIOS EM CONCURSO DE REDAÇÃO DA JUSTIÇA

As duas estudam em escolas da rede municipal e cursam o nono ano do ensino fundamental

Duas alunas da rede pública municipal de ensino de Magé foram contempladas, nesta sexta-feira (30/09), durante a cerimônia de premiação do 2° Concurso de Redação “O Juiz do Futuro”, realizado pela Escola de Magistratura do Rio de Janeiro (Emerj). Kayla Franciny Sales Porto, 13, e Fernanda da Silva Nogueira, 15, receberam prêmios pelo segundo e terceiro lugares, respectivamente, na categoria 1 da competição, que envolveu alunos do sexto ao nono anos do ensino fundamental. Ambas estão cursando a nona série e tiveram que escrever sobre o tema “Os juízes precisam respeitar os direitos humanos?”.

Kayla, que estuda na E.M. Geralda Alves da Silva, em Piabetá, e levou um tablet para casa como prêmio, comentou que teve a ajuda dos pais. “A minha mãe, que também é professora, falou comigo do concurso e fiquei interessada. Fiquei muito feliz e emocionada com a escolha do meu texto. Chorei muito quando ouvi meu nome”, confidenciou. Já Fernanda, que estuda na E.M. Antônio da Rocha Paranhos, no Parque Paranhos, e foi premiada com um celular, disse que leu bastante sobre o tema antes de escrever a sua redação: “Foi um pouco difícil porque eu não sabia muito o que um juiz fazia”.

Diretora do Departamento de Ensino da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, Maria Rita Luzório afirmou que estava muito contente com o resultado do concurso. “Não houve uma preparação especial para que os alunos participassem. Nossa preparação está no dia-a-dia das nossas escolas, na valorização que este governo dá à rede de ensino do município”, declarou. Diretora da escola Geralda Alves, Tatiane de Souza Pinto elogiou as alunas vitoriosas. “Elas são alunas muito esforçadas. Tivemos pouco tempo para deixá-las prontas para escrever sobre o tema. E o resultado nos encheu de orgulho”, disse.

Ao todo, 45 redações de alunos de 18 escolas da rede municipal mageense preencheram os requisitos e foram analisadas pela comissão julgadora do concurso, que recebeu 85 redações nesta segunda edição. A diretora-geral da Emerj, desembargadora Cristina Tereza Gaulia, discursou na abertura da cerimônia: “Percebemos que essa recepção que nosso concurso teve vem de encontro ao reconhecimento que visa, dentro do ambiente escolar, estimular nos alunos a possibilidade de despertar sua curiosidade sobre o Poder Judiciário brasileiro”.

Também foram premiados, na categoria 2, rede pública de ensino médio, alunos de Niterói, Arraial do Cabo e da cidade do Rio, que precisaram escrever sobre o tema “Qual o papel do STF em um Estado Democrático de Direito?”.

Notícia anterior1ª OLIMPÍADA DA MELHOR IDADE DE MAGÉ ‘CELEBRA A VIDA’
Próxima notíciaCERCA DE 1,6 MIL IDENTIDADES SÃO EMITIDAS EM TRÊS MESES EM MAGÉ