ASFALTO CAI EM 600 METROS DA AVENIDA DO CAMPINHO, NO DISTRITO DE SURUÍ

Obra também contempla macrodrenagem e urbanização, com nova praça para os moradores

Uma grande obra de drenagem, pavimentação e urbanização está em curso no Campinho, em Suruí, quarto distrito. A Secretaria Municipal de Infraestrutura começou, nesta quinta-feira (27/10), a asfaltar os 638 metros da Avenida Principal. No local, a Prefeitura também vai inaugurar uma praça de lazer, com quadra de grama sintética, bancos e piso intertravado. Além disso, 60 pontos de iluminação com LED também serão instalados ao longo da via. “É uma obra que recebeu um tratamento especial porque estamos lidando com um solo alagadiço que trouxe muitos problemas para a população. São grandes investimentos e, por isso, não estamos medindo esforços”, disse o secretário Marcos Pereira, que esteve no bairro pela manhã.

Morador do Campinho, o motorista Robson Gomes de Oliveira, 65, gosta de usar a bicicleta para fazer alguns deslocamentos pequenos. “Esse asfalto é um pedido antigo dos moradores. Antes, a rua era muito esburacada e isso trazia perigo para quem precisa passar por aqui todo o dia. Com a pavimentação, vai ser muito melhor, não só para quem anda de bicicleta, mas também para as crianças que gostam de brincar”, comentou. O vendedor ambulante Claudivan Gomes, 43, que passa os dias batendo na porta das residências, ficou contente com o novo asfalto. “Ando pelas ruas de Magé vendendo de tudo para as casas dos moradores. Quando dou de cara com uma rua asfaltada, minha disposição aumenta”, constatou.

Para asfaltar a Avenida Principal do Campinho, que se inicia no entroncamento com a Estrada da Conceição, a Infraestrutura usou 450 toneladas de asfalto. A Secretaria também ergueu um canteiro central na via. Em dezembro de 2021, o solo foi aberto para a macrodrenagem da região, com colocação de manilhas de 600 milímetros sob a terra. Campinho também foi contemplado com outras obras no ano passado. A Ponte da Conceição, conhecida como Ponte do Morcego, foi reconstruída para melhorar o escoamento da produção agrícola.

(Fotos: Lucas Santos)

Notícia anteriorHABITAÇÃO E RIO METRÓPOLE REÚNEM-SE PARA TRAÇAR METAS DE TRABALHO
Próxima notíciaÉ DE MAGÉ! FUNCIONÁRIA DA HABITAÇÃO GANHA PRÊMIO ARQUITETA DO ANO