ILPI COMEMORA UM ANO DE FUNCIONAMENTO COM EVENTO EMOCIONANTE 

Instituição, que fica no Jardim Novo Horizonte, tem 11 acolhidos que viram suas vidas transformadas

Momentos de muita emoção marcaram os cerca de 100 convidados que assistiram, na última quinta-feira (25/08), ao evento em comemoração ao primeiro ano de funcionamento da Instituição Livre de Permanência de Idosos (ILPI) Joceli Silva Cavalcanti Passos, no Jardim Novo Horizonte. Presente na celebração, o prefeito de Magé, Renato Cozzolino, disse que a unidade de assistência é motivo de orgulho para o seu governo. “Quando assumi a Prefeitura, a ILPI constava como inaugurada. Mas, a situação do prédio e do serviço era precária. Transformamos o local em um complexo, com quadra, academia para a terceira idade e muito mais. Fiquei tão satisfeito com o que foi feito aqui que trago as autoridades que visitam a cidade para conhecer”, revelou.

Madrinha da instituição, a primeira-dama Lara Torres não conteve as lágrimas em alguns momentos da festa, como quando um dos 11 acolhidos da ILPI entregou um arranjo de flores para ela e contou que vivia na rua sujo de barro e sem perspectiva de futuro. “A ILPI é um xodó e, quase um primeiro filho. Olho para trás e vejo quanta coisa boa aconteceu aqui um ano depois”, avaliou. A secretária Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Flávia Gomes, salientou que o sucesso da ILPI demonstra que o governo abraçou, de fato, a causa das pessoas mais vulneráveis. “Aqui, cada idoso tem o conforto e a dignidade que merece. É um lar para cada um deles. Estamos garantindo a essas pessoas o direito delas de serem beneficiadas por diversos serviços públicos”, afirmou.

Uma das mais entusiasmadas durante o evento foi a coordenadora da instituição, Maria do Carmo Barbosa, a Carminha. Ela comparou os resultados obtidos no primeiro ano com a antiga colheita dos egípcios às margens do Rio Nilo. “Eles já sabiam que as águas iam transbordar a cada ano e, portanto, semeavam o solo para aguardar a colheita. É uma metáfora para o que colhemos aqui com nossos idosos”, comparou. Carminha disse que os acolhidos passaram por problemas graves, muitos deles relacionados a abandono familiar, a doenças e a vícios. É o caso do senhor Luiz Carlos Santos, 61, que teve um AVC, ficou internado e, logo após, foi encaminhado pelo Creas para a instituição: “Não tenho parentes em Magé e, se não fosse esse lugar, estaria passando fome na rua”.


Fotos: Gilson Júnior

Notícia anteriorIMPORTANTE ÁREA DE LAZER, PRAÇA DA RUA J É TOTALMENTE REFORMADA
Próxima notíciaPIABETÁ ENCERRA AGOSTO LILÁS COM CAMINHADA EM  DEFESA DAS MULHERES