MAGÉ INICIA ATENDIMENTO DE SAÚDE À POPULAÇÃO DAS UNIDADES PENITENCIÁRIAS DA CIDADE

Equipes multiprofissionais darão suporte ao privados de liberdade

A Prefeitura de Magé, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), implantou a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Privados de Liberdade (PNAISP), que garante o atendimento de saúde em unidades prisionais. Para se tornar realidade, a SMS contratou uma equipe de gestão e mais duas multiprofissionais para atuarem nas três unidades da cidade: Colônia Agrícola, Hélio Gomes e Romeiro Neto.

“Magé era um dos poucos municípios do Estado com unidades prisionais que ainda não possuía esse serviço. Agora consertamos essa falha”, afirmou o Prefeito Renato Cozzolino, que esteve presente na reunião em que as equipes do novo programa se reuniram para a obtenção de informações complementares relacionadas às suas diretrizes.

De acordo com os responsáveis pela gestão do PNAISP em Magé, o plano de ação foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde e encaminhado ao Estado e ao Ministério da Saúde. “A estratégia da equipe é iniciar atuação com dados cedidos pela administração penitenciária do Estado sobre a condição de saúde dos detentos para otimizar os tratamentos de maior prioridade. Os assistidos receberão atendimento odontológico, clínico, de enfermagem e psicológico. Nossos assistentes sociais darão suporte a eles e também às suas famílias”, disse a cirurgiã-dentista Bruna Vieira, uma das integrantes da equipe de gestão.

O PNAISP é uma política de responsabilidade municipal, estadual e federal, que conta com investimento das três partes. “A estrutura dos espaços de atendimento das equipes nas unidades foi reformada pela Administração Penitenciária. Nelas só havia enfermeiros, mas eles não atuavam de segunda à sexta. Agora temos equipes completas que serão periodicamente capacitadas para a constante garantia da qualidade do serviço prestado”, informa Cassandra Soares, coordenadora da Atenção Primária à Saúde.

A proposta do programa é garantir um ambiente saudável nas unidades prisionais para os agentes carcerários e para os assistidos, reduzindo a remoção destes para atendimento clínico de atenção básica em hospitais. “O atendimento médico dos privados de liberdade era quase todo feito fora das unidades prisionais, em grande parte no Hospital Municipal de Magé. Com a ação de nossas equipes isso só vai acontecer agora em casos muito raros, só em situações de urgência e emergência”, declara a secretária de Saúde, Larissa Storte.

Fotos: Álvaro Carvalho

Notícia anteriorPREFEITURA COMEÇA OBRAS DE RECAPEAMENTO DA RUA CEARÁ, NO SEXTO DISTRITO
Próxima notíciaFUNCIONÁRIOS DA SAMU DE MAGÉ RECEBEM CURSO DE CAPACITAÇÃO