MAGÉ RECEBE PRÊMIO POR PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE E CONTROLE DE ZOONOSES

Área de Proteção de Suruí fica em terceiro lugar do Siss-Geo entre as 10+ Unidades de Conservação

Pela primeira vez presente na premiação do Sistema de Informação em Saúde Silvestre (Siss-Geo), a Área de Proteção de Suruí ficou em terceiro lugar entre as dez unidades de Conservação do país que mais contribuíram, em 2021, para a plataforma desenvolvida pela Fiocruz para monitoramento da saúde silvestre e vigilância de zoonoses. O secretário Municipal de Meio Ambiente de Magé, Sílvio Furtado, participou da cerimônia online de anúncio dos agraciados, nesta terça-feira (29/03), e disse que proteger a AP de Suruí é “uma tarefa difícil, pois há muita movimentação de terras na região”. “Temos todo o apoio do prefeito Renato Cozzolino e, por conta disso, estamos pensando em criar outras unidades. Já estamos levantando as poligonais”, destacou.

Com 14.200 hectares, a Área de Proteção de Suruí ficou atrás apenas da APA Petrópolis/Parque Nacional da Serra dos Órgãos e do Parque Nacional de Itatiaia. A premiação do Siss-Geo ocorre desde 2017 e visa informar a sociedade sobre os dez principais colaboradores do sistema em cada uma das cinco categorias: Colaboradores Voluntários; Mulheres Colaboradoras; Profissionais de Saúde, Ambiente e outros órgãos; Unidades/Equipes de Saúde; e Unidades de Conservação. A premiação foi transmitida ao vivo pelo canal Vídeo Saúde Distribuidora da Fiocruz, com a participação dos 50 premiados e de autoridades, como os prefeitos de Campinas (SP), Dário Saadi, e de Ubaí (MG), Farley Vieira Ribeiro.

Além da AP de Suruí, Magé também foi representada na cerimônia por três premiados no quesito 10+ Colaboradores Voluntários de 2021. Em primeiro, segundo e nono lugares, ficaram os usuários do Siss-Geo Jorge Antonio Paiva, Carlos Alberto Silva e Victor Hugo Rebecchi Siqueira, respectivamente. Eles participam do projeto Beco da Coruja, que já catalogou 152 espécies de aves na região de Santo Aleixo e arredores. Com 8.000 colaboradores inscritos, o Sistema de Informação em Saúde Silvestre é um aplicativo da Fiocruz concebido para integrar sociedade e profissionais das áreas de Saúde, Meio Ambiente e Defesa Civil, dentre outras, no monitoramento da fauna e na vigilância de doenças oriundas de animais.

Notícia anteriorVACINAÇÃO CONTRA O SARAMPO: PRIMEIRA FASE DA CAMPANHA SERÁ PARA TRABALHADORES DA SAÚDE
Próxima notíciaVENHA LIMPAR SEU NOME: PROCON REALIZA FEIRÃO EM MAGÉ