BICHOS À SOLTA! MORADORES RELATAM TER VISTO ONÇA EM RIO DO OURO

Equipes da Guarda Florestal pedem aos pais que redobrem os cuidados com as crianças

Um filhote de jacaré foi capturado, na semana passada, em Mauá e, como aparentava boa saúde, foi solto em um rio da região (FOTO: Divulgação)

Uma equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente esteve, na tarde desta terça-feira (20/04), nos bairros de Rio do Ouro e Cachoeirinha e em áreas das adjacências para tirar a limpo a denúncia de moradores sobre a presença de uma onça na região. De acordo com os relatos, o felino estaria rondando a localidade há uma semana e, segundo testemunhas, pode estar ferido, já que teria sido atropelado há alguns dias. “Recebemos informações de que uma onça está nas redondezas. Não conseguimos achá-la porque o animal voltou para a mata. Mas, é preciso que as pessoas tomem cuidado, especialmente mantendo as crianças seguras”, alertou o guarda florestal Cícero Antônio da Silva.

Ele comentou que, em geral, onças são animais de hábitos noturnos, mas que, no caso, o indivíduo visto em Magé pode estar com fome pela escassez de comida na floresta. “Isso faz com que o bicho mude os seus hábitos para se alimentar. Alguns moradores têm galinheiros no quintal e isso chama atenção”, explicou. Cícero pede que as pessoas não se aproximem da onça para tentar capturá-la. O correto é ligar para o Corpo de Bombeiros (193), para a Polícia Militar (190) ou para a Secretaria de Meio Ambiente de Magé (2647-1214). O guarda acrescentou que, ao ser capturado por uma equipe competente, o felino será enviado para exames que indicarão seu estado de saúde, para, só depois disso, ser solto em seu habitat.

A onça não foi o único animal a dar trabalho para os guardas florestais de Magé este ano. Na semana passada, um filhote de jacaré foi capturado por uma equipe da Fiscalização Ambiental em Mauá. Nos últimos dias, bichos-preguiça também foram resgatados próximos à BR-116. Cícero contou que casos de animais feridos na rodovia são muito comuns. “Muitas vezes, quando a gente chega, o bicho já foi atropelado. As preguiças são mais vulneráveis porque são lentas”, revelou. Em média, 30 animais são resgatados por ano pela equipe da Prefeitura apenas por correrem perigo ao deixar a floresta e invadir a área urbana. O animal mais exótico já capturado foi um tamanduá.

 

 

Notícia anteriorTRABALHADORES DEVEM ATUALIZAR CADASTROS NOS POSTOS DO SINE DE MAGÉ E PIABETÁ
Próxima notíciaMAGÉ PRORROGA O PRAZO PARA VISTORIA ANUAL DOS TÁXIS 2021