MAGÉ CAPACITA MERENDEIRAS PARA O INÍCIO DO ANO LETIVO

Foram 3 dias de orientações higiênico-sanitárias ministradas pelas nutricionistas do município

O Departamento de Nutrição Escolar de Magé encerrou hoje (4/2) a capacitação das merendeiras das creches e escolas. O município conta com 24 nutricionistas que tem orientado as merendeiras a proibir alimentos ultra processados, evitar industrializados e dar preferência aos produtos in natura, de acordo com resolução do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O curso é ministrado de 6 em 6 meses e as orientações também passam por dicas de prevenção a Covid-19, higiene e organização na cozinha.

“Cozinhar com alimentos in natura e de boa qualidade dá mais ânimo porque sei que é mais gostoso e saudável para as crianças. O maior tempero que pode ter na cozinha é o amor. Fico feliz ao ver que estamos agradando tanto os alunos como os professores e aprendendo diariamente com as nutricionistas”, revela a cozinheira da escola Geralda Izaura, Alcione de Jesus.

O objetivo da capacitação é assegurar o controle de qualidade higiênico-sanitário dos alimentos servidos aos estudantes da rede municipal e a implantação de operações sanitárias exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ao final do curso, os participantes receberão certificação.

“Nosso cardápio tem frutas e legumes todos os dias da semana. Nas creches, tiramos o açúcar desde o início de 2020. Todo esse processo de capacitação das merendeiras passa pela informação e mudança de cultura, porque em outro momento, não tínhamos restrições alimentares, agora temos”, conta o nutricionista Rodrigo Barbosa.

A nova legislação restringe a oferta de enlatados, margarinas e doces. Fica proibida a utilização de recursos do PNAE para aquisição de cereais adoçados, balas, bombons, biscoitos ou bolachas recheadas, temperos com glutamato monossódico ou sais sódicos, maioneses e alimentos em pó ou para reconstituição, entre outros similares.

“A Prefeitura de Magé oferece a melhor merenda do Brasil, é indiscutível. Conseguimos isso porque as merendeiras não foram mandadas embora em dezembro e contratadas em março, como aconteceu em outros mandatos. Distribuímos a verba do FUNDEB, décimo terceiro e orientamos todas elas periodicamente. Isso faz toda diferença”, conta o secretário de Fazenda e Governo, Vinicius Cozzolino.

 

Notícia anteriorINSCRIÇÕES ABERTAS PARA OFICINAS GRATUITAS EM MAGÉ
Próxima notíciaCIRCO DO DEDÉ SANTANA ESTÁ EM MAGÉ ATÉ DOMINGO COM ENTRADA GRATUITA