MAGÉ DÁ INÍCIO AO PROJETO ÁGUAS DA GUANABARA JUNTO COM O GOVERNO DO ESTADO

Iniciativa visa estudar os impactos dos resíduos sólidos e a revitalização da Baía de Guanabara

Com o objetivo de contribuir na melhoria das condições de trabalho dos pescadores da Baía de Guanabara, o Mirante de Mauá recebeu nesta segunda-feira (17) a abertura do projeto Águas da Guanabara, realizado pelo Governo do Estado, com apoio da Prefeitura de Magé, que vai realizar diagnósticos quantitativos e qualitativos dos resíduos sólidos e seus impactos na fauna e flora da Baía de Guanabara.

“O projeto faz parte de um pensamento da federação de pescadores onde a concepção maior é trazer melhorias na qualidade de vida e trabalho para o pescador e ao mesmo tempo apresentar ao público geral como se encontra a questão dos resíduos sólidos da Baía de Guanabara e entender qual é esse impacto a partir do ponto de vista do pescador”, explicou Alberto Resende, coordenador do projeto.

A iniciativa será realizada em todos os municípios vinculados às colônias de pescas, e a primeira colônia efetivamente iniciado no projeto é a Z-9, que abrange Magé e Guapimirim. A metodologia principal do projeto é que aconteça o recolhimento dos resíduos três vezes por semana pela manhã e que esse material seja pesado, mensurado, catalogado e plotado em mapas. Na sequência será realizado o estudo técnico para analisar o impacto no meio ambiente.

O prefeito de Magé, Renato Cozzolino, participou da abertura do projeto na cidade ao lado do secretário de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Marcelo Queiroz. Também marcaram presença no evento o secretário de Agricultura Sustentável de Magé, André Castilho; o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca de Guapimirim, Rafael Vivas; e o vereador de Magé, Valdeck Ferreira.

“Primeiramente eu quero agradecer a sensibilidade do nosso governador Cláudio Castro por estar sempre olhando pelo nosso município, esse projeto com certeza vai ajudar muito todos os pecadores locais. Nós temos uma margem imensa da Baía de Guanabara e milhares de mageenses que trabalham diretamente com a pesca, e esse projeto vai ajudar na despoluição e na limpeza de uma das maiores riquezas de todo o estado. Quem ganha é o povo de Magé, quem ganha é o povo do Rio de Janeiro”, salientou o prefeito Renato Cozzolino.

“Eu acho muito bonito esse projeto de união. Mais importante ainda é a parceria com a Prefeitura de Magé, que tem sido muito importante para a gente conseguir mapear todos os problemas dos pescadores no estado do Rio de Janeiro, onde a gente consegue também usar esses pescadores na revitalização da Baía de Guanabara. A pesca sempre foi uma atividade primordial e hoje engatinha um pouco, mas acredito que esse projeto pode ser um divisor de águas”, concluiu Marcelo Queiroz, secretário estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento.

Notícia anteriorMAGÉ RECUPERA 400 CARROS OFICIAIS QUE SERVEM AO MUNICÍPIO
Próxima notíciaPROCON ORIENTA CONSUMIDOR SOBRE A TAXA DE MATERIAL ESCOLAR