MAGÉ PROMOVE ATIVIDADE GRATUITA PELO DIA NACIONAL DO DIABETES

População teve acesso à medição de glicemia e aferição da pressão arterial, no Calçadão do Centro da cidade

A semana começou com a saúde em dia. A Prefeitura de Magé, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou, nesta segunda-feira (27-06), atividade pelo Dia Nacional do Diabetes, com oferta gratuita de medição de glicemia capilar (coleta de sangue na ponta do dedo), aferição da pressão arterial, orientação alimentar e exercícios físicos, no Calçadão do Centro da cidade.

Foram realizados 148 atendimentos no total, sendo 39 com encaminhamentos às unidades de saúde para quem apresentou pressão e glicose altas e ainda não se trata. O evento de promoção à saúde envolveu profissionais da Enfermagem, Nutrição e Educação Física.

“É muito importante realizar este tipo de atividade porque muitas pessoas nem sabem que estão com as doenças e, se a gente perceber alterações na glicemia na pressão, pode investigar e encaminhar para a consulta médica na unidade de referência do paciente”, explicou a enfermeira e coordenadora do HiperDia, Fernanda Felcman.

O HiperDia é um programa da rede municipal de saúde para tratar e oferecer medicação e outros itens, como glicosímetro, seringa, insulina e lanceta para os pacientes crônicos de diabetes e hipertensão. Atualmente, são cerca 13 mil pacientes de diabetes e cerca de 35 mil de hipertensão cadastrados no programa.

A população aprovou a atividade e elogiou bastante o atendimento, como a dona de casa Rosângela Oliveira, de 65 anos, que apesar de ser hipertensa e se tratar na rede municipal de saúde, aproveitou para conferir a pressão arterial e, de quebra, a glicemia.

“Estava passando e, apesar de já ter tomado meu remédio mas ainda não tinha verificado a pressão hoje, aproveitei a oportunidade para medir e conferir também a glicose. Agora vou embora tranquila porque está tudo bem comigo”, disse a dona de casa.

“Gostei muito do atendimento porque recebi orientação da nutricionista para cuidar mais da alimentação”, contou o aposentado Hilton Ferreira, 74 anos, que tem pressão alta e diabetes.

“Este tipo de atendimento é muito interessante e importante porque tem muita gente que tem os problemas e não sabe. Eu resolvi parar como uma forma de prevenção mesmo, pois felizmente não tenho nenhuma das doenças”, revelou a funcionária pública Vânia de Araújo, 38 anos.

Fotos – Gilson Jr

Notícia anteriorÉ FAKE: PROCESSO SELETIVO NOS CRAS
Próxima notíciaCONSELHO DA CRIANÇA E ADOLESCENTE REALIZA SEMINÁRIO SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL E DOMÉSTICA