CASAMENTO COMUNITÁRIO: 57 CASAIS CELEBRAM O AMOR COM O SONHADO PAPEL PASSADO

Casar de papel passado com direito à cerimônia e festa é possível sim. Isto porque a Prefeitura de Magé realizou, no último sábado (18), mais uma edição do casamento comunitário para 57 casais que formalizaram suas uniões, como a Sandra e o Jocemar, que namoraram quando tinham 14 anos e depois de 33 anos se reencontraram para casar.

“Estou muito emocionada! Valeu a pena esperar 33 anos para reencontrar o amor da minha vida, casarmos e vivermos juntos para o resto da vida”, comemora Sandra. Jocemar não esperava uma festa do porte que foi. “Não esperava ter um evento como esse, estamos gostando e muito felizes. Fiquei sabendo do casamento comunitário por uma assistente social conhecida, logo coloquei nosso nome e aqui estamos hoje celebrando o amor”, conta.

A cerimônia foi celebrada pela juíza titular da 2ª Vara Criminal de Itaboraí, Juliana Cardoso Monteiro de Barros, e pelo juiz titular da Vara Cível da Comarca de Magé, Regional de Inhomirim, Vitor Moreira Lima.

“É uma grande alegria, especialmente, notar uma sensação de amor e esperança no rosto dos casais. Costumo dizer que esse tipo de atividade aqui como o casamento comunitário me deixa muito feliz e me dá muito prazer dentro da carreira da magistratura”, disse a juíza Juliana Cardoso.

O casamento comunitário teve tudo que os noivos merecem, como marcha nupcial, bolo, decoração e uma cerimônia emocionante. “Esse ano nós fizemos dois casamentos comunitários, um no sexto distrito e outro aqui em Magé, que foram um verdadeiro sucesso. Quero dizer que pra mim é gratificante demais dar a esses casais essa oportunidade de valorizar e resgatar o que é mais importante que é a sua família. Desde a entrada da documentação até a celebração que nós oferecemos a eles”, diz Renato.

O secretário de Governo, Vinicius Cozzolino também prestigiou o evento e falou da importância deste projeto para o município.“O direito à isenção do casamento é reconhecido por lei, mas muitas pessoas não conseguem ter acesso a isso, mas a Prefeitura com ajuda de outros órgãos consegue viabilizar esse casamento para que as pessoas alcancem de fato esse direito”, explica.

Não há idade para se casar quando se encontra o verdadeiro amor. Marluce, de 66 anos e Daniel, de 65 anos, já foram casados e decidiram dar uma nova chance ao amor. “Eu nem pensava em casar mais de novo. Mas ganhei um novo amor e como também somos evangélicos decidimos nos casar”, conta Marluce. Daniel diz que não fomos criados para ficarmos só. “A gente precisa de alguém para ficar ao nosso lado, não fomos criados para vivermos só. Então procuramos reconstruir nossa vida e hoje estamos selando esse amor”.

A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Flávia Gomes, garantiu que em 2022 terão mais casamentos. “No próximo ano, teremos vários casamentos comunitários, já falamos com o Dr. Vitor e ele já concordou. Quem tiver interesse, pode procurar o CRAS mais próximo de casa e sinalizar esse desejo para entrar na lista dos próximos”, finaliza.

Fotos: Phelipe Santos

Notícia anteriorMAGÉ ENCERRA CAMPANHA CONTRA FEBRE AFTOSA COM 100% DOS ANIMAIS VACINADOS
Próxima notíciaPARCERIA ENTRE PREFEITURA E BANCO DO BRASIL DE MAGÉ REALIZA DOAÇÃO DE CESTAS BÁSICAS