PROJETO DE FOSSA DE BANANEIRA DO MEIO AMBIENTE É SELECIONADO PELA FUNASA

As ações de capacitação serão realizadas na comunidade de Conceição, em Rio do Ouro, com 60 famílias

Pela primeira vez, um projeto de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Magé foi selecionado pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e vai receber recursos para sua execução. Com o título de “Transpirando Saúde e Educação Ambiental, uma Visão de Saúde Ambiental a partir da Bacia de Evapotranspiração (BET)”, de autoria de Fabiana Neumamm, do Núcleo de Educação Ambiental da SMMA, a proposta visa a capacitar 60 famílias de Rio do Ouro, para que elas instalem fossas de bananeira em seus terrenos. “É uma alegria imensa e uma satisfação termos um projeto nosso selecionado para ser realizado com o apoio do Governo federal”, disse o secretário de Meio Ambiente, Sílvio Furtado.

De acordo com a autora, o principal objetivo é promover ações de educação em Saúde Ambiental para garantir a segurança hídrica na comunidade de Conceição, na área agrícola do terceiro distrito. A proposta, que terá início assim que o recurso de R$ 164,4 mil da Funasa chegar, deverá ser executada em cinco etapas, que incluem a divulgação preliminar, os encontros de capacitação, quatro palestras, campanhas municipais com apoio de outras secretarias e a identificação, através de questionários, das principais doenças associadas ao consumo de água na localidade. “Hoje, a maior parte das famílias da região não trata o esgoto que produz. Com a BET, ou fossa de bananeira, elas terão 100% de melhoria nesse quesito”, explicou Fabiana.

A funcionária da SMMA contou que a fossa de bananeira traz diversos benefícios para seus usuários e para o meio ambiente. “Uma fossa comum libera os gases produzidos pelo esgoto no ar. No caso da fossa de bananeira, os gases são aproveitados para o crescimento das árvores”, informou. A bacia de evapotranspiração consiste no plantio de espécies vegetais de crescimento rápido e com alta demanda por água em cima das fossas. “Isso também auxilia na produção de alimentos orgânicos sem qualquer contaminação do solo, o que também pode beneficiar pequenos produtores”, acrescentou Fabiana. A autora do projeto acredita que, ainda este mês, as equipes da Secretaria devem ir a campo para cadastrar as famílias que estejam interessadas na capacitação.

“Transpirando Saúde e Educação Ambiental, uma Visão de Saúde Ambiental a partir da Bacia de Evapotranspiração (BET)” espera, como resultados, fomentar a participação da comunidade na tomada de decisões, aplicação dos conhecimentos adquiridos e formação de valores capazes de modificar a condição de vulnerabilidade socioambiental e sanitária que afeta a saúde humana e a qualidade de vida. O projeto terá vigência de 24 meses e será coordenado pela tecnóloga em Gestão Ambiental Maria Aparecida de Souza de Resende e, supervisionado pelo secretário Sílvio Furtado.

Notícia anteriorPREFEITURA DIVULGA NOVOS APROVADOS NO BOLSA ATLETA
Próxima notíciaCARTÕES RECOMEÇAR SÃO ENTREGUES ÀS VÍTIMAS DA CHUVA EM MAGÉ