MAGÉ CELEBRA DIA MUNDIAL DA SÍNDROME DE DOWN

Magé celebrou nesta segunda-feira (21) o Dia Internacional da Síndrome de Down com a equipe técnica e os responsáveis dos alunos da rede municipal assistidos pelo Atendimento Multidisciplinar Especializado (AME). No encontro, foi abordado a autonomia dos portadores da síndrome e a importância do equipamento da Secretaria de Educação e Cultura na vida deles.

“O aluno da rede precisa ser valorizado e a gente precisa mostrar que essa criança não tem limitações. A equipe AME vem trabalhando para que essa criança se desenvolva tanto no aspecto cognitivo quanto comportamental. Esta data não podia passar em branco, então trouxemos a Renata e a Larissa, que tem síndrome de down e foi acompanhada por anos pelo AME. Ela mostra que por mais que ela tenha algumas restrições, nada a limita de realizar os seus sonhos”, explica Monique Bastos, coordenadora do AME.

Larissa Simões, de 21 anos, teve apoio do AME até o ano passado. Este ano, ela foi para o ensino médio e não utiliza mais os serviços da unidade. Ela e a mãe Renata participaram da celebração e destacou a importância do equipamento público.

“A antiga psicóloga Flávia, que atendia aqui, mas infelizmente faleceu, me cobrava em incentivar a minha filha e isso foi muito importante para o desenvolvimento dela. No início da pandemia, ela me ligava e falava: “Renata, ensina a Larissa a fazer bolo, grava o vídeo desse momento”. O período que minha filha esteve aqui foi só evolução e damos graças a Deus por esse serviço que a Prefeitura oferece, poucos lugares tem esse suporte. Larissa é super autônoma, ela vota, tem conta no banco, tem sonho de casar e ter filhos. Ela quer ser massoterapeuta e ama dançar. Ela pode ser sim o que quiser, nós pais precisamos incentivar, ela tem uma síndrome, mas é capaz”, reforça Renata.

A Prefeitura, através da Secretaria da Educação e Cultura, conta com dois equipamentos: o AME e o AME Azul que atendem juntos 340 crianças com necessidades educacionais especiais, com uma equipe multidisciplinar composta por psicopedagogo, neuropsicopedagogo, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicomotricista e psicólogo. O atendimento na unidade é feito mediante encaminhamento. A escola indica a criança para a Unidade de Saúde da Família que faz a solicitação para o atendimento do aluno.

Fotos: Gustavo Luzório

Notícia anteriorCOMEÇA VACINAÇÃO ITINERANTE CONTRA A COVID-19 NAS ESCOLAS MUNICIPAIS
Próxima notíciaMAGÉ RECEBE VISITA DO GOVERNADOR APÓS FORTES CHUVAS