MAGÉ COMEMORA DIA NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO

“Nem tudo são flores, às vezes são cactos. Mas cactos também dão flores” essa é a reflexão da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC) sobre os impactos da pandemia na alfabetização. Na última quinta-feira (18) 250 professores dos 1º e 2º anos se reuniram para celebrar o Dia Nacional da Alfabetização, comemorado no dia 14, e falar dos desafios do retorno dos alunos num período tão importante na escola.

“Nosso objetivo é levar os professores a refletirem a prática de alfabetização que é importante, porque ela se constrói no encontro com o aluno e se reconstrói a cada momento, ainda mais quando a gente fala de educação e prática pedagógica no período de pandemia. A alfabetização foi muito afetada nesse período e hoje a gente reúne os professores para comemorar o dia da alfabetização. Além do mais, mostrar a importância dele nesse processo”, explica Maria Rita Luzório, diretora do Departamento de Ensino.

Magé se reinventou e saiu na frente para que os anos não fossem prejudicados. A SMEC criou o programa “Janelas do Aprender: Estação Alfabetização” com aulas de reforço aos sábados para os alunos com déficit de aprendizagem.

“O Janelas do Aprender está sendo um marco para nós, porque os alunos foram resgatados no processo de aprendizagem que ficou com uma lacuna muito grande. Eles ficaram o ano de 2020 sem frequentar a escola e isso deixou uma marca. Trazer o aluno para escola aos sábados para trabalhar esse gap de aprendizagem está sendo muito importante. Hoje a gente já colhe os frutos, temos alunos que não tinham domínio de leitura e a partir do momento que eles começaram a ter o olhar mais específico para dificuldade eles avançaram”, comemora a diretora do Depto. de Ensino.

Clarisse Mantuan é professora de alfabetização na E.M. Vereador Geraldo Ângelo e trabalha na rede municipal há 17 anos. Para ela, o retorno dos alunos foi essencial para o processo de aprendizagem.

“Esse ano a gente voltou remotamente, depois parcialmente e agora estamos com mais de 90% dos alunos dentro da sala de aula. Com isso estamos num período de desenvolvimento em que a gente pode ver que o nosso trabalho desafiador como professor tem contribuído de forma efetiva. Em casa, o estudo é diferente, porque a escola continua sendo o local onde o aluno se socializa, compartilha e troca experiências de vida e aprendizagem. Nós professores estamos felizes, porque estávamos apreensivos com esse retorno e com essa aprendizagem. Então estamos comemorando porque estamos chegando ao fim do ano letivo também e a gente crê que muito em breve teremos 100% dos alunos frequentando as aulas”, espera Clarisse.

Fotos: Lucas Santos

Notícia anteriorMARKETING DIGITAL E EDUCAÇÃO FINANCEIRA SÃO TEMAS DE PALESTRA GRATUITA
Próxima notíciaSECRETÁRIOS ENCONTRAM PROFESSORES PARA CONVERSAR SOBRE PARCERIA COM O CEFET