SANTO ALEIXO DEVE RECEBER PROJETO-PILOTO PARA O TURISMO EM MAGÉ

Ação é resultado do estudo feito para o Inventário Turístico apresentado em audiência pública

Durante apresentação na Câmara Municipal de Magé, na última quinta-feira (17/11), a professora Isabela Fogaça, uma das coordenadoras do Observatório de Turismo da Baixada Verde, disse, em audiência pública, que Santo Aleixo pode ser uma área-piloto para o desenvolvimento de um plano turístico para Magé. Ela discorreu sobre o Inventário de Turismo Mageense, realizado, entre 2018 e 2021, pela Prefeitura em parceria com a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). A diretora de Turismo de Magé, Taiane Paniçollo, destacou que o documento apresentado pela primeira vez é primordial para a criação de políticas públicas e de projetos.

De acordo com Isabela, Santo Aleixo possui as melhores condições para o início de um plano turístico que, depois, seja reproduzido nos demais distritos. “Estamos falando de uma área com muitos atrativos naturais, como cachoeiras e rios, e históricos, como as fábricas antigas. Dessa forma, concluímos que o segundo distrito seria um local adequado para o pontapé inicial. Estamos nos referindo a melhorias de acesso, de sinalização e de infraestrutura, dentre outros”, destacou. Dos dez municípios que integram a Baixada Verde, Magé foi o primeiro a firmar um Termo de Cooperação Técnica com a UFRRJ para a elaboração do Inventário.

A diretora de Turismo explicou que o documento está sendo apresentado agora devido a uma pausa por conta da pandemia. “Como os dados levantados estão em constante mudança devido à evolução da atividade turística e outros fatores, o Inventário vai necessitar de avaliação periódica para não se tornar obsoleto”, frisou Taiane. Ela também disse que a realização do primeiro trabalho desse tipo na cidade abriu caminho para a criação de um Inventário do Turismo Rural, segmento crescente na atividade turística de Magé. “Devemos ir a campo em breve e, mais uma vez, contando com a parceria com a Universidade Rural”, finalizou.

Números do levantamento

Para a elaboração do primeiro Inventário Turístico Mageense, um grupo de 15 alunos de graduação em Turismo percorreu os seis distritos do município para fazer o levantamento que foi apresentado na Câmara. Ao todo, o trabalho mobilizou 36 pessoas e rendeu 800 páginas, que, posteriormente, foram reduzidas e condensadas em três volumes. Dentre as curiosidades que constam do documento, estão alguns números, tais como a existência de 95 equipamentos de alimentação na cidade, 13 de hospedagem, oito para eventos e festas, quatro espaços livres e áreas verdes, oito instalações esportivas e oito sítios de lazer.

Dentre os atrativos culturais, o Inventário listou três comunidades tradicionais, três lugares de manifestação de fé, 14 itens de arquitetura religiosa, quatro itens de arquitetura industrial, sete ruínas, quatro museus e sete personalidades.

(Fotos Phelipe Santos)

Notícia anteriorMAGÉ CELEBRA DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA
Próxima notíciaMAGÉ TERÁ TELÕES PARA TRANSMISSÃO DE JOGOS DO BRASIL NA COPA