PREFEITURA REALIZA DISCUSSÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA EM MAGÉ

Secretarias de Saúde e Assistência Social se mobilizam para fortalecer o atendimento a esse público

Magé tem avançado nas políticas públicas para a população em situação de rua. E para fortalecer o atendimento a esse público, a Prefeitura realizou nesta segunda-feira (30), a 1ª Oficina Intersetorial da Saúde e Assistência Social a fim de discutir políticas públicas e um sistema ainda mais eficaz.

“O objetivo dessa oficina é possibilitar um diálogo intersetorial entre as redes de Saúde e Assistência Social para melhor acolher a população de rua. As duas secretarias já desempenham um trabalho maravilhoso e cada setor da saúde e da Assistência apresentou como é feito o seu trabalho. Essa união é muito importante para que eles tenham um atendimento de saúde e assistencial ainda mais forte. Vamos marcar a próxima oficina para falar sobre os resultados que tivemos com a criação dessa rede intersetorial”, explica Kátia Moura, coordenadora do Consultório na Rua da Secretaria Municipal de Saúde.

O Programa Consultório na Rua é responsável por garantir o acesso dessa população aos serviços de saúde, como exames, consultas e vacinação. Atualmente, 300 pessoas estão cadastradas e recebem esse acompanhamento.

Já a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos conta com dois alojamentos de pernoite: um Magé e outro em Piabetá, um Centro POP e o Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) que tem três equipes exclusivas para cuidar das pessoas em situação de vulnerabilidade e risco social nas ruas de Magé, oferecendo acolhimento aos serviços socioassistenciais e reintegrando ao âmbito familiar.

“Foi um encontro muito proveitoso, porque há muito tempo almejávamos isso para melhoria do trabalho em rede. Tendo em vista que somos todos um só governo e isso era muito difícil de acontecer. Apresentamos o trabalho da proteção especial como: Centro Pop, equipe de abordagem social e casa de passagem. Temos certeza que vamos colher bons frutos com essa união”, ressalta Liliane Werly, coordenadora técnica da Casa de Passagem.

Fotos: Phelipe Santos

Notícia anteriorGMs DE MAGÉ SÃO SENSIBILIZADOS PARA ACOLHER MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DE GÊNERO
Próxima notíciaSECRETÁRIOS OUVEM COMERCIANTES SOBRE MELHORIAS EM SANTO ALEIXO